Sheepy

estratégia de compra de mídia digital: google e facebook ads

veja o fofíssimo case da Sheepy e descubra como conseguimos, em apenas 4 meses, duplicar o faturamento médio da empresa.

a Sheepy procurou a wee! com um problema bastante comum! eles eram atendidos por uma agência e estavam insatisfeitos com o resultado apresentado. o que podemos traduzir de outra forma: o e-commerce não estava vendendo bem, mesmo com o investimento em mídia (google e facebook ads)

esse costuma ser o maior pesadelo do empreendedor, – e das agências sérias – porque é quando o que era para ser visto como investimento se torna custo. e essa mudança de mindset faz com que o mercado se retraia, o que não é bom pra nenhuma das partes interessadas.

como é de praxe aqui na wee!, antes de começar o trabalho com a Sheepy, fizemos um diagnóstico rápido que foi suficiente para perceber muitos erros – também super comuns, infelizmente. vamos listá-los abaixo:

#1. funil de vendas

o primeiro deles era a falta de um desenho de funil de vendas nas campanhas de facebook e google, que é a base para o sucesso de qualquer campanha online. 

se você ainda não sabe como funciona um funil de vendas, dá uma olhada nessa explicação resumida do que fizemos para a Sheepy:

topo do funil (awareness)
cerca de 60% do orçamento

a principal função dessa primeira etapa é fazer com que o público-alvo conheça o produto. por ser a parte mais larga do funil, quanto mais gente (qualificada) a gente jogar dentro dele, mais chances de conquistar novos clientes. aqui trabalhamos de forma mais visual, sem aprofundar muito nos benefícios do produto.

meio de funil (ponderação)
cerca de 30% do orçamento

nesta etapa o cliente já conhece o produto, mas provavelmente ainda não comprou. então, nossa missão é quebrar suas objeções. aqui a gente aprofunda nos diferenciais da marca, ou seja, o que destaca ela dos concorrentes.

base do funil (conversão)
cerca de 10% do orçamento

na parte mais estreita do funil o nosso foco é conversão. no caso da Sheepy, por exemplo, são apenas pessoas que adicionaram produtos ao carrinho mas não finalizaram a venda. aqui vale oferecer benefícios, descontos, venda casada, etc.

como dissemos, essa separação das etapas do funil é vital para o sucesso de uma campanha digital, especialmente porque as campanhas de base de funil costumam ter um custo muito mais baixo por venda realizada, o que equilibra todo o investimento. 

obs.: este é um super resumo de um assunto que vale se aprofundar. 

#2. público-alvo

bem, voltando ao diagnóstico, outra coisa que estava bem ruim no caso da Sheepy era o público-alvo. entrando no Google Analytics, rapidamente percebemos que seu público comprador era majoritariamente de mulheres entre 25 e 35 anos e os anúncios eram exibidos para todo mundo. isso, na realidade super fragmentada da internet, onde cada pessoa quer saber apenas sobre seus assuntos de super interesse, é a fórmula para jogar dinheiro no lixo. é muito importante você saber quem é o seu público e configurar corretamente as ferramentas, além de falar a língua dele em seus criativos.

#3. orçamento

o orçamento estava mal distribuído, com grande parte sendo investido em campanhas que não estavam performando bem. isso costuma ser sintoma de falta de monitoramento. quem trabalha com campanhas online precisa monitorar os resultados diariamente – ou no mínimo uma vez por semana. 

#4. quantidade de anúncios

pouca variedade de anúncios é outra maneira de jogar dinheiro fora. uma das coisas que insistimos com a marca foi para ter sempre pelo menos 10 anúncios de topo de funil ativos e atualizados, mais pelo menos 4 anúncios de meio de funil e pelo menos 2 de base. ter essa variação faz com que você aumente suas chances de atingir cada pessoa com suas particularidades, além de ser importante para o Google e Facebook, que costumam distribuir automaticamente o seu orçamento para priorizar anúncios que tenham mais impacto nas duas primeiras horas. então não tenha medo de usar imagens e copys completamente diferentes.

bem, depois deste rápido diagnóstico, chegou a hora de colocar a mão na massa. fomos fazendo essas alterações ao longo dos primeiros meses e vendo que a cada ajuste o resultado melhorava um pouquinho. levamos cerca de dois meses e meio até conseguir implementar todas as alterações até que, no quarto mês de trabalho, conseguimos dobrar o faturamento médio da empresa – comparando com a média dos 3 últimos meses pré-agência. este foi um marco muito importante, pois deu a confiança necessária à cliente para aumentar seu investimento em mídia, o que nos dá liberdade de testar novas estratégias e ser mais criativos.

veja os números da Sheepy:

115%

de aumento no faturamento médio mensal

145%

de aumento na taxa de conversão

82%

de aumento na quantidade de transações efetuadas


impressionante, não é mesmo? 

mas precisamos confessar um coisa: a nossa parte foi só a de organizar a estratégia mesmo, porque os produtos da Sheepy praticamente se vendem sozinhos. <3

FALE COM A WEE!