Tim Ferriss

Tim Ferriss

ouça a tradução de um episódio do The Tim Ferriss Show aqui:

spotifyapplegoogle

para quem está acostumado com o podcast, um aviso: esse episódio vai ser um pouco diferente!

no lugar das tradicionais entrevistas, resolvi traduzir na íntegra um episódio do The Tim Ferriss Show que fala sobre produtividade, além de outros assuntos importantes! esse é um dos meus episódios de podcast favoritos de todos os tempos e volto nele todo mês para um reality check. 

espero que tenha para vocês o mesmo impacto que tem pra mim.  😉

notas do episódio

texto original: https://tim.blog/2013/11/03/productivity-hacks

episódio original: https://tim.blog/2014/06/16/not-to-do-lists-drugs-and-other-productivity-tricks

transcrição do episódio: https://tim.blog/wp-content/uploads/2018/07/13-tim-ferriss-productivity-tricks-for-the-neurotic.pdf

discurso do Neil Gaiman https://tim.blog/2012/05/22/neil-gaiman-commencement-speech/?_ga=2.260469707.733080444.1591128389-688512009.1583464823

texto traduzido

Originalmente, escrevi este post meses atrás, mas estava muito auto-consciente para publicá-lo até agora. A seguinte citação me convenceu a seguir em frente:

“No momento em que você sente que, possivelmente, está andando nu pela rua, expondo muito do seu coração e sua mente e o que existe por dentro, mostrando muito de si mesmo. É nesse momento que você pode estar começando a acertar. “

essa citação é do escritor Neil Gaiman, em discurso na University of the Arts.

Então, aqui vai, e espero que ajude pelo menos alguns de vocês.

Parte 1. Reality Check

Alguns meses atrás, eu tive uma festa de aniversário. Acontece todos os anos, claro!

Eu e uma dúzia de amigos nos reunimos e aproveitamos vários dias de sol, praia e jogamos bastante conversa fora. No último dia, eu não levantei até as 11h30, sabendo muito bem que os últimos amigos que estavam lá, iam embora meio dia.

Eu tava com medo de ficar sozinho.

Como uma criança, escondi minha cabeça debaixo do edredon (literalmente) e apertei o modo “soneca” do despertador até que a realidade não pudesse mais ser adiada.

Mas por que estou te dizendo isso? 

Parte 2. O perigoso mito das pessoas “bem-sucedidas”

Todos nós queremos parecer “bem-sucedidos” (um termo nebuloso, na melhor das hipóteses) e a mídia gosta de retratar os destaques como super-heróis.

Às vezes, essas histórias dramáticas de superar as probabilidades são inspiradoras. Só que mais frequentemente, eles levam a uma conclusão prejudicial, que é:

“Bem, talvez eles [empresários / artistas / criadores com fama de super-heróis] possam fazer isso, mas eu sou apenas um pessoa normal…”

Este post tem como objetivo dar uma olhada nos bastidores da minha própria vida. [do Tim Ferriss] Embora eu já tenha feito matérias que acompanham meu dia a dia, raramente deixo os jornalistas me seguirem por um dia “normal”. Por quê?

Eu não sou super-herói. Eu não chego nem a ser “normal” consistente.

Nos últimos três meses, eu:

  • Chorei enquanto assistia o filme Rudy;
  • Apertei repetidamente o modo Soneca e acordei de 1 a 3 HORAS depois do horário planejado, simplesmente porque não queria enfrentar o dia;
  • Considerei doar tudo que tenho e me mudar para Montreal, Sevilha ou Islândia. A localização varia de acordo com o que estou querendo escapar;
  • Vi um terapeuta pela primeira vez, pois me convenci de que estava condenado a ser um pessimista para a vida toda;
  • Usei sites estúpidos para “relaxar” durante o dia, quando claramente tinha coisas importantes e urgentes pra fazer;
  • Tornei meu consumo diário de cafeína (leia-se: automedicação) tão alto que meu pulso “em repouso” era de mais de 120 batimentos por minuto. foram de 8-10 xícaras de café por dia, no mínimo;
  • Vesti o mesmo par de jeans por uma semana inteira, só para ter uma constante, necessária durante semanas de caos.

Parece bastante disfuncional, né?

Mas, nas últimas 8 semanas, eu também:

  • Aumentei minha renda passiva em mais de 20%;
  • Comprei a casa dos meus sonhos;
  • Meditei duas vezes por dia durante 20 minutos por sessão, sem falhar. Isso marca a primeira vez que consigo meditar de forma consistente.
  • Reduzi minha ingestão de cafeína para quase nada (nas últimas 4 semanas): geralmente tomo apenas chá pela manhã e à tarde. Mas não tomei mais de uma xícara de café por semana;
  • Com a ajuda dos meus ouvintes e leitores, arrecadei mais de US $ 100.000 para caridade no meu aniversário.
  • Levantei US $ 250.000 em 53 minutos para uma start-up chamada Shyp;
  • Assinei um dos negócios mais emocionantes dos meus últimos 10 anos;
  • Adicionei cerca de 10 quilos de músculo depois de aprender a dor e a alegria dos front squats de alta repetição;
  • Percebi – mais uma vez – que os sintomas de maníaco-depressivo são apenas parte do empreendedorismo;
  • E por último, me aproximei de todos os meus familiares.

O ponto

A maioria dos “super-heróis” não se parecem nada com super-heróis. São apenas criaturas estranhas e neuróticas que fazem coisas grandiosas, apesar de muitos hábitos autodestrutivos.

Pessoalmente, sou péssimo em eficiência, ou seja, fazer as coisas rapidamente. Por isso, estou dividindo com vocês o meu processo de 8 etapas para maximizar a eficácia, ou seja, fazer as coisas certas:

1) Acorde pelo menos 1 hora antes de ir para alguma tela. E-mail e redes sociais são assassinos de mentes.

2) Faça uma xícara de chá e sente-se com uma caneta e papel.

3) Anote as coisas que estão te deixando mais ansioso ou desconfortável. Essa losta tem que ter de 3 a 5 itens no máximo. Muitas vezes essa lista é feita com os itens que já foram postergadas, ou seja, transferidos de uma lista de tarefas para a outra por vários dias. Isso porque, geralmente, as coisas que te deixam mais desconfortável ou ansioso são os itens mais importantes da sua lista.

4) Para cada item, pergunte-se:

– “Se essa fosse a única coisa que eu conseguisse terminar hoje, eu ficaria satisfeito com o meu dia?”

– “Cumprir essa tarefa fará com que todas as outras fiquem mais fáceis de serem realizadas depois?”

5) Observe apenas os itens para os quais você respondeu “sim” em pelo menos uma dessas perguntas.

6) Bloqueie pelo menos 2-3 horas para se concentrar em UM desses itens hoje. Deixe o resto do material urgente e menos importante de fora. Isso ainda vai estar lá amanhã.

7) E PRA SER BEM CLARO: Bloqueie pelo menos 2-3 HORAS para se concentrar em UMA delas hoje. E que fique claro que isso é um bloco de tempo. Ou seja, ficar pegando 10 minutos aqui e ali para somar 120 minutos não funciona.

8) Se você se distrair ou começar a procrastinar, não surte; apenas volte gentilmente pra sua única tarefa.

E é isso aí!

Essa é a única maneira que encontrei de criar grandes resultados, apesar do meu desejo interminável de procrastinar, tirar uma soneca, ou desperdiçar meus dias com coisas inúteis. Se eu tiver 10 coisas importantes para fazer em um dia, é 100% certo que nada de importante será feito naquele dia. Por outro lado, normalmente consigo lidar com 1 item pra fazer e bloquear meus comportamentos estúpidos durante 2-3 horas por dia.

Não é preciso muito para parecer sobre-humano e parecer “bem-sucedido” para quase todos ao seu redor. Na verdade, você só precisa de uma regra: o que você faz é mais importante do que como você faz todo o resto. E só porque você fez uma tarefa muito bem não significa que ela era importante.

Vou repetir:

O que você faz é mais importante do que como você faz todo o resto. E só porque você fez uma tarefa muito bem não significa que ela era importante.

Se você sentir consistentemente a necessidade contraproducente de fazer muita coisa, coloque essas frases em um Post-it:

Estar ocupado é uma forma de preguiça – pensamento preguiçoso e ação indiscriminada.

Estar ocupado é frequentemente usado como disfarce para evitar as poucas ações criticamente importantes, porém desconfortáveis.

E quando, apesar de seus melhores esforços, você sentir que está perdendo no jogo da vida, lembre-se: até os melhores dos melhores se sentem assim às vezes. Quando desesperado, lembro do que o icônico escritor Kurt Vonnegut fala sobre seu processo: “Quando escrevo, sinto-me como um homem sem braços e sem pernas, com um giz de cera na boca”.

Não superestime o mundo e subestime a si mesmo. Você é melhor do que pensa.

E você não está sozinho.