Derek Sivers

thumb-derek-horizontal

#50: cinco perguntas para um dos caras que eu mais admiro no planeta

spotifyapplegoogle

Derek começou sua carreira como músico profissional e palhaço de circo. em 1998 a empresa que ele fundou, CD Baby, se tornou a maior vendedora de música independente online do planeta, chegando a 100 milhões em vendas e mais de 150 mil artistas. em 2008, Derek vendeu a CDBaby por 22 milhões de dólares, doando os lucros para um fundo de caridade para educação musical. ele é um palestrante frequente no TED, com mais de 5 milhões de visualizações em suas palestras e, desde 2011, vem publicando alguns livros, incluindo Anything You Want, que disparou para o primeiro lugar em todas as categorias da Amazon e Your Music and People, um livro com várias dicas para que artistas aprendam a vender sua música, que eu ajudei a traduzir para o português.

entrevistas do Derek no The Tim Ferriss Show:

trechos do seu livro Anything You Want em português:

livros do Derek:

só um parênteses rápido aqui, Anything You Want é um dos meus livros de negócios favoritos! eu já devo ter escutado o audiobook pelo menos umas 10 vezes e até fiz um episódio do calma! (#25) traduzindo alguns dos capítulos. vale a pena conferir!

eu conheci o Derek ouvindo um dos meus podcasts favoritos, o The Tim Ferriss Show e, desde então, venho consumindo todo tipo de conteúdo que ele coloca no mundo. ele é um cara que tem uma maneira singular de enxergar as coisas, sempre se questionando, desafiando o status quo e, consequentemente, construindo um estilo de vida pessoal bem diferente do “padrão” do resto da sociedade, que costuma ser pautado em dinheiro e consumo.

e o mais engraçado a respeito desse episódio é que eu já consumi tanto conteúdo do Derek que foi até difícil selecionar 5 perguntas em que eu pudesse extrair algo diferente do que ele já falou em outros podcasts, em seus livros, ou nos posts de blog e, por isso, acabei enveredando para um caminho mais pessoal, tentando entender como é sua vida na prática, ou seja, para além de suas filosofias.

pra quem curtir o episódio e quiser saber mais sobre o convidado eu recomendo que ouçam os episódios #125 e #128 do The Tim Ferriss Show, que vou colocar na descrição do episódio e também conheçam seus livros, quase todos com versão em português, que eu também vou linkar aqui na descrição.

e pra fechar, eu estou disponibilizando a versão com o áudio original do Derek em Inglês, que você pode ouvir pulando para o minuto 10:10, além da tradução em português.

então, sem mais delongas, vamos ao episódio:


Sêneca tem uma frase no livro “Sobre a Brevidade da Vida” que diz que “pequena é a parte da vida que vivemos, pois todo restante não é vida, mas somente tempo.” Essa frase, apesar de ter mais de 2000 anos, parece se encaixar perfeitamente na maneira como vivemos hoje em dia. Sempre ocupados demais! E sempre sem tempo pra nada. Ou melhor, sem vida! No entanto, quando observo suas escolhas, jeito de viver e filosofias, percebo que você otimizou sua vida em torno de tempo e felicidade – ou seja, viver a vida -, em vez de fama e dinheiro – que parece ser o status quo da busca de todas as outras pessoas. 

Dito isso, minha primeira pergunta é: você se considera uma pessoa feliz?

Eu sou feliz?

Nosso caminho para a felicidade está sempre mudando. Quando sua vida é muito agitada, o que você precisa para ser feliz é ter mais tranquilidade. Se você está fazendo a mesma coisa há anos, o que precisa para ser feliz é de uma mudança e aprender algo novo.

Portanto, se você perguntar a alguém “você é feliz?”, a pessoa só poderá responder pelo agora. Ontem alguém pode ter se sentido solitário, mas hoje está com amigos e feliz. No entanto, amanhã, para ser feliz, ele pode precisar de um tempo sozinho.

Nunca está resolvido. A felicidade não é permanente. ë Quase sempre falta alguma coisa.

Eu conheço algumas pessoas ricas. Eles estão infelizes com seus relacionamentos, saúde ou qualquer outra coisa.

Eu conheço algumas pessoas famosas. Ser famoso é lisonjeiro, mas é difícil ser feliz quando você está sob tanta pressão e obrigação. 

É muito MUITO importante prestar atenção no que te faz mais feliz, não importa o que as outras pessoas queiram. E, depois de descobrir, assuma. Não se sinta envergonhado!

Não tenho interesse em mais dinheiro, mas gosto de ser um pouco famoso porque gosto das conexões e conversas com pessoas inteligentes e interessantes de todo o mundo.

Fico mais feliz quando estou sendo útil e fazendo algo que as pessoas precisam.

Hoje, o que te causa ansiedade e como você lida com ela?

A ansiedade não é um medo do futuro desconhecido? Eu realmente não entendo. Mas eu me sinto muito em conflito, e esse é um sentimento semelhante.

Se você ler meu novo livro, “COMO VIVER”, verá 27 filosofias diferentes que pode seguir para ter uma vida boa.

Eu acredito em todas elas. Mas elas são conflitantes. Por isso escrevi um livro sobre este assunto, que tem uma conclusão estranha.

Eu estou sempre me esforçando para fazer mais, mais, mais. Aprenda mais, crie mais, compartilhe mais, construa mais.

Dito isso, não acho que seja ansiedade. A palavra inglesa “stress” é uma espécie de abreviação de “distress”, o que é negativo. Mas há uma palavra menos popular, “eustress”, que significa estresse positivo. Como pessoas jogando videogame ou praticando esportes radicais. É um pouco estressante, mas é por isso que você adora.

Portanto, não, eu não fico ansioso, mas vivo com muito eustress e conflito.

Nesses 13 anos após a venda da CD Baby em que você vem construindo seu estilo de vida ideal, quais foram as melhores e piores escolhas que você fez?

Não tenho construído um estilo de vida ideal. Tenho experimentado. Vamos ver o que acontece se eu me mudar para a Ásia. Vamos ver o que acontece se eu tiver um bebê. Vamos ver o que acontece se eu apenas escrever livros por um tempo. Vamos ver o que acontece se eu doar todo o meu dinheiro para instituições de caridade. Vamos ver o que acontece se eu me mudar para a Europa. Opa, Covid, deixa pra lá, de volta à Nova Zelândia.

Mas você quer saber sobre as escolhas.

Algumas escolhas são fáceis de medir, como escolhas de negócios ou de dieta, já que eles resultam em números que aumentam ou diminuem. Portanto, você pode dizer objetivamente se foi uma escolha boa ou ruim.

Mas, com muitas opções, é provável que você nunca saiba o que foi bom ou ruim. Meu filho viverá uma vida melhor crescendo na Nova Zelândia repleta de natureza ou em Cingapura voltada para o futuro? Devo estimular seu desenvolvimento acadêmico a cada dia ou apenas deixá-lo jogar? Devo comprar um terreno e construir uma casa? Devo alugar um apartamento minimalista simples? Quais são as vantagens e desvantagens? Talvez eu nunca saiba.

Estou muito feliz com a Nova Zelândia em geral, então estou feliz por ter me mudado para cá em 2012 e obtido a cidadania. Amo ter o direito de morar aqui. Mas, embora eu tenha o prazer físico de um belo lugar tranquilo, posso estar perdendo o eustress intelectual de viver no meio da Ásia ou da Europa. Quem sabe?

Amo minha namorada, noiva, futura esposa. Me comprometer com ela, em vez de manter minhas opções em aberto, parece ter sido uma ótima escolha até agora.

Eu amo meu filho mais do que todo o resto do mundo combinado, e ele é a maior fonte de profunda felicidade para mim, mas ele foi um acidente, não uma escolha.

Sobre a venda da CD Baby e a decisão de doar parte do dinheiro: sabendo o que sabe hoje, você teria feito algo diferente?

Não. Estou tão feliz por ter feito isso. Quando vendi a empresa, o dinheiro nunca tocou em minhas mãos. Foi direto da empresa compradora para um fundo de caridade, de modo que o dinheiro nunca foi meu. Se fosse meu, eu poderia ter feito algumas coisas estúpidas com ele ao longo dos anos. Eu poderia ter ficado deprimido e me dado ao luxo de alguma despesa estúpida, pensando que isso me faria feliz. Mas não, já que não podia, não o fiz. Sou muito feliz de tê-lo doado!

Qual é a maior diferença de percepção entre como as pessoas enxergam sua vida e como ela de fato é?

Não sei o que as pessoas pensam, mas aqui está minha vida:

  • Acordo às 5 da manhã e escrevo.
  • Quando meu filho acorda às 7, eu dou a ele toda a minha atenção.
  • Quando ele está na escola por seis horas, eu respondo e-mails, escrevo e me exercito.
  • De 15h às 17h nós estudamos em casa juntos.
  • Brincamos das 18h até a hora da cama, geralmente com minha namorada, que é escultora em tempo integral.
  • Depois que ele dorme, fico com minha namorada até dormirmos também.

Esta é minha vida. 


se você curtir o podcast, vai lá no Apple Podcasts / iTunes e deixa uma avaliação, pleaaaase? leva menos de 60 segundos e realmente faz a diferença na hora trazer convidados mais difíceis. além disso, eu curto ler os comentários! 😉e se puder, vai lá nas minhas redes sociais e me diz o que você está achando do podcast: